Sábado, 25 de Dezembro de 2010

A aproximação do estudo do Tanakh (Bíblia Hebraica) dá-se com uma dupla finalidade. A primeira é a de compreender o significado literal da história ou da lei judaica. As questões que podemos colocar são: Porque Deus testou Abrahão, ordenando-lhe que sacrificasse o seu único filho? Como eram os sacrifícios oferecidos no Templo, e porque razão foram instituídos? Qual foi o pecado de Moisés, que fez com que Deus o impedisse da longa ambição de entrar na Terra Prometida? Todos estes exemplos relacionam-se com a forma como entendemos a palavra de Deus, conforme está escrita no Tanakh. Isto pode ser traduzido como aprender p'shat, o significado literal do texto.

 

A segunda, igualmente importante, é o objectivo da exegese bíblica de perguntar, não a questão objectiva do significado do versículo, mas sim a questão subjectiva do que uma frase, ou ideia, significam para mim. Noutras palavras, enquanto o primeiro objectivo é o de compreender a palavra de Deus quando se relaciona com Abrahão, Moisés, David e Salomão, o nível secundário é o de perguntar como a palavra de Deus e as acções dos nossos ancestrais se relacionam connosco - como afectam o nosso dia-a-dia. Podemos classificar este tipo de aprendizagem como d'rash.

 

Por exemplo, enquanto p'shat se relaciona com a natureza do pecado de Moisés, d'rash tenta passar-nos lições das capacidades deste homem - crescendo até se transformar no maior dos profetas, e as suas limitações - a fraqueza humana que até Moisés tinha.

 

Tehilim (salmos) representa talvez o paradigma desta aproximação de duas pontas em direcção à exegese. Primeiro, preocupamo-nos com a compreensão das palavras do salmista, ideias e motivação para a escrita do poema. Contudo, ainda mais importante, e talvez o objectivo traçado pelo próprio salmista, é de transmitir os sentimentos do Homem em relação ao Criador, retratando-os através de uma série de emoções.

 

Não é surpresa que muitos dos cânticos de David foram integrados na nossa liturgia: o que é a prece senão prostação das nossas emoções a Deus, e quem melhor que o Rei David para expressar estes sentimentos? Nós, pelo meio que David introduziu, tentamos destrancar nossos sentimentos mais íntimos, expressando-os em comunhão com Deus.



Publicado por Marco Moreira às 19:37
 
Pesquisar neste Blog
 
Dezembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23

27
28
29
31


Ligações na Web
Arquivo
2011

2010